Você conhece o programa Erasmus Mundus (EM)?

Você, que faz um curso de graduação, pensa em continuar seus estudos em algum país da Europa? Caso você seja um professor, um mestrado ou doutorado no velho continente é uma ideia interessante? Muitos estudantes e professores almejam e muito uma experiência em universidades europeias, incrementando seu currículo acadêmico e participando de experiências incríveis com pessoas de outras nacionalidades e culturas.

A Europa também vê com bons olhos a presença de estrangeiros em suas universidades. Afinal, além de incentivar o desenvolvimento e a pesquisa, isso aumenta a presença de jovens nos países, visto que a queda de natalidade e o aumento da expectativa de vida reduziu o número de pessoas entre 18 e 35 anos.

Frente a este cenário, a EACEA (Agência Executiva Europeia de Educação, Audiovisual e Cultura) criou o programa Erasmus Mundus (EM), que tem como principal objetivo possibilitar que cidadãos não europeus tenham a oportunidade de ingressar no ensino superior em diversos países membros da União Europeia. Através dele, muitos alunos e professores do Brasil tiveram a oportunidade de cursar em alguns destes países, e muitos deles são membros atuais do programa aqui no país.

Erasmus Mundus

O Início

O programa Erasmus Mundus surgiu em 2004, devido a um interesse da União Europeia em conceber oportunidades de estudos acadêmicos em universidades europeias para pessoas que não são do continente. Este se desenvolveu em duas fases:

  • Fase 1 (2004 – 2008): durante este período, o programa disponibilizou bolsas para não-europeus cursarem mestrados conjuntos oferecidos por 3 ou mais universidades europeias.
  • Fase 2 (2009 – 2013): o sucesso da primeira fase do programa levou a sua renovação, ampliando suas ações. Desta vez, o EM se estrutura em 3 eixos, atendendo inclusive a participação brasileira

Os Eixos (Ações)

As ações do programa EM são:

  1. Bolsas de mestrado e doutorado de alto nível para cursos conjuntos EM
  2. Redes em disciplinas específicas formadas por instituições brasileiras e europeias (incluindo bolsas)
  3. Consórcios institucionais para a promoção do ensino superior europeu

Como visto, o sucesso do programa foi imprescindível para que outras grandes oportunidades. Pode-se notar que, de início, apenas bolsas de estudos para mestrados foram disponibilizadas. Agora, existe a possibilidade de alunos brasileiros cursarem graduações, mestrados e até mesmo doutorados em universidades europeias. Uma excelente oportunidade para brasileiros ampliarem sua experiência acadêmica.

Como participar?

Frente a esta grande oportunidade, como você pode aproveita-la? Para participar do programa, é necessário que a universidade em que você estuda, ou que se formou e pretende fazer um mestrado ou doutorado, esteja incluída no programa. Algumas instituições bem conhecidas estão incluídas no Erasmus Mundos. Entre em contato com sua universidade e se informe dos procedimentos a serem tomados. É bom estar com seu passaporte em dia!

Caso a instituição em que estuda não esteja cadastrada no programa, não se desespere! Você pode conversar com a coordenação do seu curso e sugerir que a instituição se informe do programa e tente fazer a adesão, visto que é uma oportunidade para tornar conhecida a universidade na Europa, além de aumentar a credibilidade de seus alunos e professores.

CompartilharEmail this to someoneShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

2 comentários sobre “Você conhece o programa Erasmus Mundus (EM)?

  1. Leticia Alves disse:

    Bom artigo simples e explicativo. Tenho muita vontade de estudar na Europa , até como forma de conseguir um visto pra moradia lá . bjs

  2. Pedro Costa disse:

    Leticia acho que o visto permanente vai exigiri em algum momento q vc obtenha um emprego lá. Mas ser estudante eh um otimo primeiro passo para abrir as portas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *