Programas de intercâmbio para estudar idiomas na Europa

Fazer um programa de intercâmbio na Europa é uma opção atrativa e muito valorizada para quem quer, além de aprimorar e aprender um novo idioma, ter um diferencial em seu currículo. Sem contar o fato de que, estando no país de origem e convivendo com quem tem vivência no idioma que você gostaria de aprender, a absorção da língua e dos costumes e filosofias do país escolhido dão um diferencial ainda maior frente a outros que aprenderam aqui no Brasil.

Mas como funciona? O quanto devo investir? Será que existem programas melhores e mais atraentes? O que deve ser levado em consideração antes de optar por um programa de intercâmbio na Europa? Esses e outros pontos devem ser levantados, mas ajudaremos você a pensar nos mais importantes, que são:

  • Idioma a estudar
  • Escolha do país
  • Agência de intercâmbio

Estas são as considerações iniciais quando se pensa em estudar idiomas através de um programa de intercâmbio. Vamos analisar como cada uma dessas decisões irão influenciar na sua escolha.

Idioma a estudar

A escolha do idioma é essencial. Já se decidiu? Se não, pense consigo: por que eu gostaria de aprender um idioma e ser fluente nele? É claro que a primeira resposta da grande maioria é relacionada com oportunidades profissionais, visto que tanto a fluência na língua quanto a vivência dela no seu país de origem são um grande diferencial no currículo.

Cuidado com línguas muito específicas! Países como Suécia, Finlândia, Dinamarca, Noruega e a grande maioria do leste europeu possuem seus idiomas nativos e, apesar de incorporarem o inglês nas universidades e escolas, o governo exige que a pessoa conheça a língua nativa para exercerem atividade remunerada. Sem mencionar o fato que estas línguas específicas não são tão requisitadas como inglês, espanhol, francês ou até mesmo o alemão. Mas, como dito antes, a escolha e objetivos são seus. Basta apenas ponderar sobre o que é mais importante para você.

Escolha do país

Vamos agora supor que você escolheu o idioma. O próximo passo é pesquisar os países europeus que possuem a língua nativa. Mas cuidado: a presença de dialetos e outras línguas num mesmo país pode dificultar um pouco o aprendizado do idioma. Um exemplo: se você quer aprender inglês, seria interessante procurar vagas em países como a Inglaterra, visto que o idioma oficial é o inglês. Já em outros países britânicos, como a Irlanda e País de Gales, apesar de também ser a língua oficial, existem dialetos e idiomas nativos, como o galês, o que pode ser um diferencial ou até mesmo uma dificuldade para aprender o idioma.

Outro ponto a ser considerado na escolha do país seria a cultura e o estilo de vida das pessoas, bem como o clima. Como se sabe, a Europa possui milhares de anos de evolução e história, e a grande maioria dos países são de primeiro mundo, com diversas facilidades e opções que fazem toda a diferença. Contudo, o clima e a maneira como as pessoas se comportam nestes lugares podem causar um choque muito grande, e a adaptação pode demorar um tempo. Converse com outros brasileiros que moram ou já viveram nos países em que você pretende realizar seu programa de intercâmbio e se informe sobre estes detalhes,

Agência de intercâmbio

Agora que você finalmente definiu o idioma e o país que quer fazer o programa de intercâmbio, chegou o momento de escolher a agência. Neste caso, sites de busca como o Google e o Bing irão desempenhar um papel importante na sua pesquisa. Porém, fuja dos anúncios iniciais com ofertas de intercâmbio e veja diretamente nos sites oficiais das agências sobre as oportunidades e ofertas.

Palavra de cautela: busque por agências que estão a muitos anos promovendo seus programas de intercâmbio para Europa, além de mostrar depoimentos e relatos de pessoas que fizeram suas apostas nela e quais os resultados que tiveram. Essas empresas não construíram sua reputação do dia para noite. Muitas delas já estão a anos trabalhando com estes programas e ajudando muitos a terem êxito em adquirir a fluência em diversos idiomas europeus. Observe estes detalhes quando pesquisar, e tome cuidado com agências que oferecem ofertas tentadoras e oportunidades imperdíveis.

Qualquer que seja seu objetivo, existem diversas opções de programas de intercâmbio para estudar idiomas na Europa. Estas três considerações iniciais são muito importantes para refletir antes de tomar uma decisão. Então aproveite bem o tempo, faça pesquisas e defina bem suas metas. Independentemente do que escolher, estes programas serão um grande diferencial na sua vida profissional e acadêmica.

CompartilharEmail this to someoneShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Um comentário sobre “Programas de intercâmbio para estudar idiomas na Europa

  1. Lianna disse:

    Com tanta informação na internet não tem desculpa … tem q procurar, fuçar muito pq nao faltam oportunidades. O povo europeu é muito eudcado então mesmo q vc nao domine o idioma nativo vc vai se comunicar se souber ingles

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *